Nasa lembra os mártires da prospecção espacial

G1

As bandeiras dos Estados Unidos balançaram hoje a meio mastro em todas as sedes da Nasa (agência espacial americana), que homenageou os mártires ao completar nesta semana o 43º aniversário do incêndio da morte de três astronautas da Apolo 1 e o 24º do desastre da nave Challenger.

Incluída também na celebração o sétimo aniversário da tragédia da nave Columbia, que em 1º de fevereiro de 2003 se desintegrou ao retornar de uma, até então, bem-sucedida missão científica.

As tragédias do Challenger e do Columbia mataram 14 tripulantes. Na Apolo 1 mais três pessoas morreram.

O Dia da Lembrança para a Nasa foi liderado pelo diretor da agência espacial americana, Charles Bolden, que depositou hoje uma coroa de flores no túmulo dos astronautas no cemitério de Arlington, a poucos quilômetros da capital.

Bolden agradeceu o sacrifício dos que morreram no esforço espacial dos Estados Unidos e lembrou que essa sempre será uma empresa difícil e perigosa.

Ao mesmo tempo, reiterou o compromisso da agência de transformar a segurança de todos os que trabalham para a Nasa em sua máxima prioridade.

“O legado dos que perdemos é o nosso pensamento permanente e a inspiração de gerações de novos exploradores do espaço”, assinalou.

“A cada dia e com cada desafio que superamos, a cada descoberta que fazemos, homenageamos estes notáveis homens e mulheres”, acrescentou.

A tragédia do Apolo 1 ocorreu em 27 de janeiro de 1967 quando os tripulantes Gus Grissom, Edward White e Roger Chaffee morreram em um incêndio no módulo de comando durante um teste em Cabo Canaveral (Flórida).

Apesar desse desastre, o programa continuou para levar à Lua em 16 de julho de 1969 na nave a Apolo 11 os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins.

A nave Challenger se desintegrou em uma fria manhã de 28 de janeiro de 1986, um minuto após seu lançamento a partir do Centro Espacial Kennedy, em Cabo Canaveral.

Entre os sete tripulantes que morreram estava Christa McAuliffe, a primeira professora da era espacial que ganhou o direito de integrar a missão em um concurso realizado pela Nasa.

Uma tragédia com um número similar de vítimas voltou a ocorrer na agência espacial em 1º de fevereiro de 2003, quando a nave Columbia explodiu após o choque molecular com a atmosfera depois de uma missão científica de 16 dias.

Em meio dos atos de lembrança, a Nasa continuou hoje os preparativos para a primeira missão deste ano.

Em 7 de fevereiro, o ônibus espacial Endeavour partirá em uma missão de 13 dias à Estação Espacial Internacional (ISS) para continuar a construção do orbitador.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s